9.8.17

Resenha: O Fazedor de Velhos - Rodrigo Lacerda


Resenha:
Pedro sempre foi apreciador das pequenas coisas, valorizando a beleza e a simplicidade de tudo e, devido à sua criação, Pedro também sempre foi amante dos livros, mas apenas aquelas que tivessem alguma ligação com o próprio.
Um dia, quando adolescente, precisou fazer uma viagem, mas por ser muito novo, sua viagem foi negada. Como solução, Pedro se arrumou e levou um livro de Sheakespeare para conseguir fazer a tal viagem. Nesse momento, um senhor o observava e até mesmo o parabenizava por tamanha inteligência. O que Pedro só não imaginava é que esse mesmo senhor faria um discurso anos depois em sua formatura e ainda lembraria desse fatídico dia, o fazendo rir quando todos estavam assustados.
Anos mais tarde quando passava por uma crise sobre continuar ou não na faculdade de História, um antigo professor o aconselhou a conversar com o professor Nabuco e, para a surpresa de Pedro, Nabuco era o mesmo homem que o observou no aeroporto e discursou em sua formatura. E, mesmo constrangido por todos os seus atos peculiares, Pedro resolveu prosseguir na sessão de aconselhamentos e tentar decifrar o que deveria fazer com sua vida.
Entretanto, quando estava prestes a descobrir qual rumo deveria seguir, Pedro conhece Mayume, o literal e perfeito amor de sua vida. Ele só não imaginava que às vezes, quando coisas muito boas acontecem, outras ruins aparecem para tentar nos abalar.

Opinião:
O Fazedor de Velhos é um livro curto e perfeito para te acompanhar em qualquer situação, pois por se tratar de uma história leve e sem enrolação, você não precisa esperar entrar em alguma vibe para o ler.
A diagramação do livro é perfeita, sendo que até as folhas do livro facilitam a leitura. E, apesar de ser um livro nacional, eu jamais teria pensado isso se não tivesse lido a biografia do autor na parte de trás.
Pedro, como os próprios personagens dizem, é um garoto muito bom e ingênuo e, imaginar que existem pessoas assim, mesmo que literariamente, nos transmite sentimentos de paz e esperança em um mundo melhor. Nabuco também é um personagem encantador e eu adoraria tê-lo como orientador, profissional ou não. Quero tatuar suas falas no corpo!!

Frases:
"Não queiram nunca ser eternamente jovens; gostar de viver é gostar de sentir, e gostar de sentir é, necessariamente, gostar de envelhecer."
"A vida, por um momento, me pareceu igual a uma teia, cujos fios são ao mesmo tempo indestrutíveis é absolutamente delicados."

Autor: Rodrigo Lacerda.
Páginas: 152..
Editora: Companhia das Letras.
Compre online: SaraivaSubmarino.

Caso tenham oportunidade, recomeço que leiam ou pelo menos o tenham para ler algum dia, pois assim que você se deparar com uma crise(existencial ou não), O Fazedor de Velhos irá te ajudar!

4 comentários:

  1. Oi, Thaís! Tudo bem? Eu amo O Fazedor de Velhos com todas as minhas forças! É um livro que tenho muito carinho, pois me acompanha desde 2009. Também o resenhei no blog! ^^

    Abraço

    https://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério? Eu só o conheci esse ano... Mas fico muito feliz que ele seja assim, tão parceiro <3
      Irei procurar sua resenha AGORA hahah.
      Obrigada!

      Excluir
  2. Fiquei encantada com a capa e ainda mais por ser um livro nacional! Já quero muito ler e estou adicionando na minha infinita lista de desejados haha
    Beijinhos <3
    http://livrosamoremais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aaah, fico tão feliz, Joice <3
      Faça mesmo! E não o esqueça na hora de tirar algumas livros da lista hahah.

      Excluir

*Seja educado(a) e respeite a todos.
Deixe sua opinião, ela será sempre bem vinda, assim como você ❥